"A Verdade não precisa de defesa; por si mesma ela se defende. A Verdade precisa ser proclamada!"

03 dezembro 2011

Os vasos não fazem a si mesmos...











Por Natan de Oliveira

Mas ó homem, quem és tu, que a Deus replicas?" Romanos 9.20

Geralmente a visão de uma criança e de um bebê, principalmente se bonito, é uma linda figura que desperta na mente humana um sentimento de intocabilidade e inocência.

Baseado nesta falsa aparência a filosofia em geral concluiu que o homem nasce bonzinho e que as crianças são inocentes.

Não é isto que a Bíblia ensina.
A Palavra de Deus diz que o homem nasce pecador.

"Sei que sou pecador desde que nasci, sim, desde que me concebeu minha mãe." Salmo 51.5

Após o nascimento já temos um pecador no mundo, que de fato ainda não pecou, mas sua natureza está toda ali potencialmente disponível para ser o que é.

Deixe crescer e o menino manifestará a sua natureza da forma mais "natural" possível, pecando.

E a Escritura vai além, nos revela que antes mesmo do nascimento, já éramos pecadores miseráveis.

"Os ímpios erram o caminho desde o ventre; desviam-se os mentirosos desde que nascem." Salmo 58.3

Esta malignidade se manifesta em rebeldia, desde pequeno, primeiramente em pequenas doses, depois em maiores rompantes.

Para conter sua rebeldia, os pais da criança o corrigem com disciplina, educação e chineladas apropriadas.

"A insensatez está ligada ao coração da criança, mas a vara da correção a afugentará dela." Provérbios 22.15

Os pais que se deixam iludir pela suposta aparência de almas inocentes e não corrigem seus filhos, acabam gerando para a sociedade, rebeldes insuportáveis, mimados e sem limites que serão fonte de angústia para os pais quando adultos e em muitos casos um peso social também.

"A vara e a repreensão dão sabedoria, mas a criança entregue a si mesma, envergonha a sua mãe." Provérbios 29.15

Sua disposição para pecar (fazer aquilo que desagrada a Deus, ou fazer aquilo que Deus não permite que se faça) e sua rebeldia natural contra as leis de Deus cresce à medida que a criança cresce.

No coração de um homem rebelde, o conhecimento da lei de Deus lhe produz reação contrária, expressa sempre em andar segundo o desejo da sua própria vontade.

"Entre os quais todos nós também antes andávamos nos desejos da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos por natureza filhos da ira, como os outros também." Efésios 2.3

Entram em conflito dois adversários ferrenhos, de um lado a vontade do homem na procura de deleites, do outro lado a vontade Deus.

Esta luta perdurará sem grandes mudanças até o novo nascimento em muitos, ou então até a rebeldia total e perdição nos demais.

Os que persistem em ser rebeldes, mas são letrados na filosofia e ciência, quando descobrem que Deus se revela soberano na Escritura, chegam a desafiar a Deus em suas mentes com perguntas tipo:

"Por que você (Deus) se queixa ainda? Porventura, quem tem resistido à Sua vontade? Afinal se eu sou rebelde Ele (Deus) me fez assim..." Paráfrase de Romanos 9.19

Deus então responde prontamente: "Mas ó homem Rebelde, quem és tu, que a Mim replicas?" Romanos 9.20

E Deus ainda continua dizendo, "Porventura a coisa formada dirá ao que a formou: Por que me fizeste assim?" Romanos 9.20b

Todo homem dará conta do que pensou, fez, ou deixou de fazer diante do Criador e Este tem poder para fazer vasos como achar que devem ser feitos.

"Ou não tem o oleiro (Deus) poder sobre o barro (a terra), para da mesma massa (terra) fazer um vaso para honra (eleitos) e outro para desonra (reprovados)?" Romanos 9.21

E ainda...

"E que direis se Deus, querendo mostrar a sua ira, e dar a conhecer o seu poder, suportou com muita paciência os vasos da ira, preparados para a perdição..." Romanos 9.22

E ainda mais...

"Para que também desse a conhecer as riquezas da sua glória nos vasos de misericórdia, que para glória já dantes preparou...?" Romanos 9.23

Lição profunda para a qual os chamados pelo Senhor se mostram gratos e maravilhados.

Lição intrigante para a qual, os que persistem em continuar rebeldes contra o Senhor, se mostram ainda mais incomodados, endurecidos e irados.

O Evangelho provoca alegria e ira ao mesmo tempo, dependendo do coração para quem ele é proclamado.

Não seja o teu coração endurecido em ira e rebeldia.

Ouça o Evangelho, vá em velórios, acompanhe o cortejo até o cemitério, fique até o fim, observe com atenção o que lá ocorre, saiba que o que é pó se tornará novamente pó...

"Os passos do homem são dirigidos pelo Senhor; como pois, entenderá o homem o seu caminho?" Provérbios 20.24

Para evitar tais verdades e textos bíblicos, o homem inventou um outro evangelho, o cristianismo humanista, para o qual Deus é somente um tipo de “Marshmalow de Amor”.

E este outro evangelho se tornou um sucesso... Todavia a própria Escritura revela que tais doutrinas são doutrinas de demônios e que Satanás é seu mentor maior.

Que outro evangelho é este, alguém me perguntaria? 
A própria Escritura dá a resposta:

“Mas, ainda que nós ou mesmo um anjo vindo do céu vos pregue evangelho que vá além do que vos temos pregado, seja anátema. Assim, como já dissemos, e agora repito, se alguém vos prega evangelho que vá além daquele que recebestes, seja anátema.” Gálatas 1.8-9

Que outro evangelho é este, alguém teimaria em perguntar?
É todo aquele que prega loucamente que os vasos fazem a si mesmos...

3 comentários:

NDs Solucoes disse...

Deus Abençoa esta página gostei muito ler este texto edificante a respeito de Romanos 9.21.

NDs Solucoes disse...

Queria saber qual é a diferença entre os vasos?
Porque Atos 9.15 Paulo ele foi um vaso escolhido para sofrer pelo amor a Cristo Atos 9.16... Sei que vaso de honra é diferente de vaso escolhido... e mesmo sendo ele aprovado por Deus. E mesmo sendo um vaso na mão do oleiro e conhecendo a maneira que faz Jeremias. Ainda quero saber se ele é feito da mesma massa... como diz Romanos 9.21 e porque esta diferença? Estarei esperando a resposta PAZ DO SENHOR JESUS.

Jorge Fernandes Isah disse...

NDs, boa noite!

Não sou o autor do texto, mas posso lhe responder que vasos são vasos, e de que a diferença está em como Deus os usará, dentro do contexto de Rm 9: se para a honra, honra (os eleitos); se para a desonra, desonra (os réprobos).

O homem não pode produzir em, e para si mesmo, o bem, de ser um escolhido ou um vaso de honra (sei, a Bíblia vai nos exorta a glorificar e honrar a Deus, mas somente aqueles capacitados por ele responderão positivamente e efetivamente o honrarão e glorificarão), pois isso não depende de quem quer, nem de quem corre, mas de Deus, que se compadece de quem quer, daquele que escolheu antes da fundação do mundo, para a sua glória.

Portanto, e não sei se respondi à sua questão, os vasos são iguais, os mesmos, mas a diferença está no que o Senhor fará com eles, segundo a sua santa, perfeita e soberana vontade.