"A Verdade não precisa de defesa; por si mesma ela se defende. A Verdade precisa ser proclamada!"

30 outubro 2009

NEM UM NEM OUTRO... É POSSÍVEL?





Por Jorge Fernandes Isah



Há um grupo de teólogos e discípulos que se diz nem arminiano nem calvinista, e se considera fora do escopo de qualquer dessas linhas teológicas. Levando-se em conta que, ou se glorifica a Deus crendo na Sua plena e total soberania (o que não pode ser uma soberania compartilhada), ou no homem e sua suposta liberdade, mesmo que seja de forma parcial; não há outra definição: ou se é calvinista ou arminiano, não existe outra classificação, apenas variações do mesmo princípio, ou como popularmente se diz, variações do mesmo tema.
O “novo” teólogo sequer estudou minimante os dois sistemas, e diz discordar mais pelo que não leu do que pelo efetivamente leu a respeito. Ainda assim, está convicto de não pertencer nem a um nem a outro grupo. Mas qual a base para afirmação tão inconsistente? A incoerência é uma delas. A soberba, outra. A vaidade exclusivista complementa o quadro, aliada à fraude. Porque assumir-se arminiano ou calvinista apenas o tornará mais um entre tantos, ao passo que afastar-se de ambos o colocará em uma posição aparentemente destacada, pelo menos aos olhos dos incautos e ignorantes. Alardear os erros alheios é mais fácil de se encobrir os próprios erros, e essa é a cortina de retalhos que utilizam para dissimular o próprio dolo.
O calvinismo está calcado em 5 pontos1:
1) Total Depravação;
2) Eleição Incondicional;
3) Expiação Limitada;
4) Graça Irresistível;
5) Perseverança dos Santos.
Se há discordância em apenas um dos pontos não se é calvinista, é-se arminiano (acho que foi McGregor Wright em seu “A Soberania Banida”2 que disse: o calvinista de 04 pontos é um arminiano inconsistente).
O que pode acontecer é do “arminiano inconsistente” não assumir a pecha de arminiano. Agindo assim, ele não abdicará do seu “exclusivismo”, e poderá atirar pedras no telhado alheio, tanto de um como do outro, sem se ver comprometido. Estará livre para criticar a tudo e todos sem qualquer base bíblica, coerente e lógica, pois seus fundamentos são exclusivamente pecaminosos (interesses a serviço do pecado).
É cômodo jogar com as pessoas, com as idéias, e manter-se distante num estado de expectação acintosa, tal qual o pirotécnico ateia faísca à lona e vê o "circo pegar fogo". Como se fosse um deus, colocar-se acima do bem e do mal, impondo regras e normas que ele mesmo recusa, enquanto observa seus subalternos debaterem-se esterilmente.
A principal forma de se conseguir isso é acusar de erro, indistintamente, toda e qualquer pessoa ou grupo que não pactue 100% com seus ideais (os quais nem ele mesmo sabe quais são, e por definição, o que há é apenas a rejeição aos conceitos alheios), e rechaçá-los totalmente. A obediência cega é o seu alicerce (ainda que fincada na areia), depois a edifica com paus, palha e feno, os quais são: forjar fatos, distorcer conceitos, subverter a verdade. Cabe-nos a defesa da fé, e refutar qualquer posição arrogantemente tola e descabida; e distinguir os fundamentos bíblicos dos espiritual e humanamente falhos.
Uma coisa é ser ignorante, desconhecer a doutrina cristã, outra é a desonestidade em que alguns se colocam como sábios mas são loucos, enredados pelo próprio desejo de serem admirados e venerados pelos homens por suas posições e atitudes pretensamente livres de qualquer influência (por si só, uma máxima arminiana). Eles enganam e iludem para manterem-se intocados, e suas idéias rotas e desvairadas permanecerem de pé, mesmo que não passem de um cadáver preso à parede por longos rebites.
Ao desprezar todos os sistemas, crêem descobrir a “roda”, quando o que fazem é repetir o erro de muitos teólogos que viveram séculos antes dele. Mas o pior é manter presos à ignorância uma legião de “súditos” devotados e cegos. Por isso, não querem se aprofundar na questão, nem entendê-la, basta deixar tudo do jeito que está, porque assim é mais fácil controlar e manter domesticado o rebanho de ovelhas perdidas.
Então, não nos iludamos com a pretensa sabedoria desses homens, pois eles são obscuros e querem manter nas trevas o maior número possível de pessoas. Para elas, infelizmente, manter-se-ão cativas mesmo na morte... eterna.

1- Para maior explicação dos pontos, ler texto em http://www.monergismo.com/textos/jcalvino/joao_calvino_5pontos_silverio.htm
2- O comentário ao livro A Soberania Banida pode ser lido em http://kiestoulendo.blogspot.com/2008/05/soberania-banida.html e AQUI
3- O fato de considerar o arminianismo heresia não implica na perdição de todos. Creio que há arminianos sinceros, mas errados doutrinariamente. Até porque a salvação é inteiramente de Deus, e Ele escolhe quem será salvo ou não.

Texto publicado originalmente no blog Kálamos.


4 comentários:

Helvecio.p disse...

Querido daqui a pouco você irá desejar que as minhas férias acabem logo.Lá vem esse chato de novo.Conheço relativamente a história e a biografia dos reformadores os quais admiro. Viveram eles em uma época difícil e lutaram ardorosamente para que a Palavra de Deus se impusesse na sua época e futuramente. Eu porém não seria jamais Luterano,Calvinista ou Arminiano ou ficaria preso a qualquer pensador, teólogo , do passado ou moderno. A razão é simples e eu recomendo, que são as seguintes: 1ª) A bíblia completa como temos e o privilégio de a termos hoje completamente acessível é sufiente para conhecermos de Deus o que cada um de nós precisa ( nem todos poderiam saber tudo ) 2ª) A compreensão deles como a nossa é presa a cultura de sua época e aos embates e situação da igreja em sua época. 3ª) Saber tudo é uma ilusão e presunção. Gastaram a vida tentando fechar todas as questões teológias possiveis.4ª)Dos 50 milhões de calvinistas no mundo, incluindo-se aí todas as denominações norte americanas, européias e brasileiras tradicionais ou subsistem em uma frieza espiritual de dar dó ou são fonte de defesas e posturas anti bíblicas como ordenação de ministros homosexuais e ou aproximação com a igreja romana, ecumenismo, etc. Igualmente os que abraçaram o armianismo. Gastar gasolina com um lado ou outro é perda de tempo. A verdade Bíblica é anterior a reforma, que apenas a redescobriu e mesmo assim históricamente, parcialmente. Fizeram muito em seu tempo mas continuaram com o batismo infantil por exemplo. Mesmo que concordasse com todos os 5 pontos que definem o Calvinismo não diria que seria calvinista. Calvino foi servo, como foram Paulo, Pedro, Lutero, João Frerreira de Almeida e tantos outros anônimos. Merecem reconhecimento mas nada além disso. Sou crente na Biblia e cada dia aprendo o que é necessário e passível de ser praticado, e ora que não é fácil. Não sou de A, de B ou de c . Sou de Cristo.

Amo você. Você está corretíssimo em amar ao Senhor e a sua Palavra. O Senhor te abençoe sempre.

Jorge Fernandes Isah disse...

Helvécio,

em que ser calvinista é ser antibíblico? Posso provar biblicamente que um arminiano não é totalmente bíblico. Assim como posso provar biblicamente que um TJ's ou mórmon não é bíblico em nada. Você pode provar que um calvinista não é bíblico?

Entendo que um arminiano pode ser salvo (como muitos foram e serão); entendo que um calvinista pode ser salvo (como muitos foram e serão), mas também entendo que há arminianos e calvinistas no inferno fazendo coro aos TJ's e aos mórmons (aos quais é impossível a salvação se mantidos nos seus sistemas antibíblicos).

O calvinismo não é um conjunto de doutrinas extra-bíblicas, mas bíblicas. Não se opõem à Bíblia, mas torna-a sistematizada, revelando suas doutrinas e ensinamentos.

Dizer que os 50 milhões de calvinistas no mundo são de "uma frieza espiritual de dar dó" é, no mínimo, acreditar-se onisciente ao ponto em que conhece os 50 milhões de calvinistas e pode seguramente defini-los como frios espirituais. Mas o que é frieza espiritual? Diga-me? É balançar num cipó gritando palavras de ordem ou cantando mantras gospels? É exteriorizar emoções? Extravasar sentimentos? Ou espiritual é desejar ser igual ao nosso Senhor Jesus Cristo?
Primeiro, você deve definir o que é espiritual. Depois, definir o que é frieza espiritual; depois definir o método que o permiti afirmar a frieza espiritual de 50 milhões de calvinistas.

O calvinismo não gerou em nenhum lugar do mundo nenhuma heresia, ao contrário do arminianismo e pelagianismo, de onde saem todas as seitas.
As igrejas heréticas que você citou FORAM em algum momento histórico calvinistas, mas não são mais. Em sua maioria, são sinergistas, humanizaram-se, "iluminaram-se" pelo racionalismo e empirismo, e abandonaram completamente as Escrituras. São liberais, heterodoxas, "originais", modernas ou pós-modernas, desmitologizadas, pragmáticas, secularizadas, pagãs; tentam a todo custo colocar o homem no trono de Deus. Não fazem parte do corpo de Cristo, nem têm nada a ver com Cristo, antes pregam o antievangelho, as más novas do diabo. Portanto, não são calvinistas.

Não desejo o fim das suas férias, e sabe que é sempre um prazer conversar consigo, mas dessa vez, suas colocações foram, no mínimo, infelizes.

Você pode até não admitir ser arminiano, amyraldiano, calvinista, pelagiano, etc. É um direito seu. Mas pelo conjunto de crenças fica fácil defini-lo: o sistema que se ater à Bíblia é bíblico (claro!), e o que não se ater é antibíblico (igualmente claro). Logo, só há duas possibilidades: ou se é bíblico ou não. E, seguramente, o calvinismo é bíblico em sua totalidade. O mesmo não se pode dizer do amyraldianismo, do arminianismo, etc.; o que contudo, não impede um ou outro de ser salvo, pois como disse, a salvação é pelo poder de Deus, não do homem. Mas uma coisa posso afirmar seguramente, aquele que não é calvinista apreendeu parte da verdade, não a sua totalidade. O suficiente para ser salvo, como que pelo fogo (1Co 3.15).

Grande abraço ao irmão!

Cristo o abençoe!

Ivan Carlos disse...

Simplesmente RIDÍCULO o seu post!

Mas vc já sabe que és UM RIDÍCULO e que sería FORTEMENTE CRITICADO, por isto, protege-se numa MODERAÇÃO; o ato 'nobre' do COVARDE VIRTUAL.

Meu consolo é que VC VAI LER isso que escrevi. E saberá a minha opinião a seu respeito... UM COVARDE 'ENCABRESTADO'!!! Bye (azar o seu que não vai poder me responder. Vai ter que engolir em seco as minhas palavras!!! kkkkkk

Jorge Fernandes Isah disse...

Ivan,

vai criar um blog para eu achincalhar você também, e ver se é macho para publicar, vai!

Mas, pensando melhor, o que poderia me levar a lê-lo?

O prudente é manter distância, porque bufões são assim mesmo, fazem apenas barulho, nada mais.